(11) 98545-6499
Português France Italian English Spanish

Atividade do Bombeiro Civil em segurança contra Incêndios

Atividade do Bombeiro Civil em segurança contra Incêndios


Ações de prevenção de incêndios, Noções sobre técnicas de prevenção e combate a incêndios. A Importância do Bombeiro Civil na Prevenção de Incêndios

Considera-se Bombeiro Civil aquele que, habilitado nos termos desta Lei, exerça, em caráter habitual, função remunerada e exclusiva de prevenção e combate a incêndio, como empregado contratado diretamente por empresas privadas ou públicas, sociedades de economia mista, ou empresas especializadas em prestação de Atividades do Bombeiro Civil.

Sua atuação é descrita na ABNT NBR 14608 de 2007 como o empregado de uma empresa e que só presta serviços desta natureza.

No atendimento a  sinistros em que atuem, em conjunto, os Bombeiros Civis e o Corpo de Bombeiros Militar, a coordenação e a direção das ações caberão, com exclusividade e em qualquer hipótese, à corporação militar.

Só faz atendimento público em casos específicos como os de shopping, por exemplo, e aqueles que em grandes parques industriais pertencem ao PAM-Rede Integrada de Emergências, os quais pelas proximidades com grandes avenidas e rodovias e o valor da vida humana se convencionam neste tipo de auxilio.

Atividades  Básicas As atividades básicas do bombeiro profissional civil durante suas rotinas de trabalho são:

Ações de prevenção Conhecer o plano de emergência contra incêndio da planta;

Identificar os perigos e avaliar os riscos existentes;

Inspecionar periodicamente os equipamentos de combate a incêndio;

Inspecionar periodicamente as rotas de fuga, incluindo a  sua liberação e sinalização;

Participar dos exercícios simulados;

Registrar suas atividades diárias e relatar formalmente as irregularidades encontradas, com propostas e medidas corretivas adequadas e posterior verificação de execução;

Apresentar, quando aplicável,  sugestões para melhorias das condições de segurança  contra  incêndio e   acidentes;

Participar das atividades de avaliação, liberação e acompanhamento das  atividades  de riscos  compatíveis com sua  formação;

Ações de emergência

Aplicar os procedimentos básicos estabelecidos  no Plano de Emergência do Estabelecimento contra Incêndio, de acordo com a ABNT NBR 15219.

Nota:  O Bombeiro Profissional só deve atuar nas atividades básicas em que estejam, plenamente capacitados e tenham EPI e recursos necessários  disponíveis

Bases de conhecimento do Bombeiro Profissional Civil

Para que um incêndio seja iniciado, é preciso que os reagentes envolvidos (comburente e combustível) estejam em condições favoráveis para que essa reação possa acontecer. A energia para que a reação seja iniciada é chamada de energia de ativação, e é originada através das fontes de ignição. O calor de reação é a energia que se ganha ou se perde quando ocorre uma reação.

Assim sendo, a prevenção de incêndio é a aplicação de normas e leis de prevenção. No Brasil, está descrita nas Normas Regulamentadora 23 do Ministério do Trabalho, além de Leis Estaduais e Municipais, sendo essas uma importante ferramenta que tem sido utilizada para evitar os acidentes envolvendo fogo.

A prevenção de incêndios envolve as edificações e sua ocupação, o controle de manutenção de máquinas e equipamentos em geral e sistemas elétricos, controle de materiais combustíveis e inflamáveis, instalação de sistemas e equipamentos que permitam o combate rápido a princípios de incêndio, treinamento de pessoas no uso desses equipamentos e nos procedimentos de abandono das edificações sinistradas.

Ações de prevenção de incêndios

Dentre as ações de prevenção de incêndio, podem-se destacar algumas simples que podem evitar desastres:

  1. A proibição do fumo em locais onde existam grandes quantidades de materiais combustíveis;
  2. Não armazenar materiais, sem que haja ordem e limpeza no local;
  3. Utilizar a desenergização do ambiente, ao final do expediente, de todos os equipamentos elétricos utilizados em todos os setores da empresa;
  4. Proibir a utilização de derivação tipo “T” e “extensões” elétricas, que são totalmente condenadas pelas normas técnicas e responsáveis por grandes incêndios;
  5. Manter produtos voláteis, como álcool de cozinha e fósforos longe do alcance de crianças, em local ventilado e afastado de fontes de calor.

Noções sobre técnicas de prevenção e combate a incêndios

As medidas de prevenção e combate de incêndio estão ligadas a elementos de precaução contra o princípio de um incêndio. As medidas de proteção são divididas em proteção passiva e proteção ativa, sendo elas destinadas a proteção da vida humana e dos bens materiais dos efeitos nocivos do incêndio que possa ocorrer em algum tipo de edificação. Portanto, as técnicas de prevenção de incêndio:

• Visam à extinção inicial do incêndio;
• A limitação do seu crescimento e propagação no e entre edifícios;
• A precaução contra o colapso estrutural;
• A evacuação segura do edifício;
• A rapidez, eficiência e segurança das operações de combate e resgate.

Por exemplo, para a prevenção de acidentes provocados por incêndio é preciso que as edificações sejam construídas de forma tal que ofereça total segurança para os seus ocupantes. Para essa situação, foi criada a NBR 14432, que em uma situação de incêndio não haja problemas na estrutura do prédio.

Vale ressaltar, entretanto que, para cada tipo de edificação deve ser desenvolvido um plano de segurança específico. São esses cuidados que irão evitar a ocorrência de incêndio, e caso ele ocorra, sua intensidade, duração, risco e gravidade seja o mínimo possível.

Outros exemplos de NBRs desenvolvidas como forma de prevenção de incêndio são:

  • NBR 5667 – sistema de hidrantes;
  • NBR 9077 – Saídas de Emergência em Edificações;
  • NBR 10897 – Proteção contra Incêndio por Chuveiro Automático;
  • NBR 10898 – Sistemas de Iluminação de Emergência;
  • NBR 11715 – extintores de incêndio com carga de água;
  • NBR 11742 – portas corta-fogo para saída de emergência;
  • NBR 12615 – Sistema de Combate a Incêndio por Espuma.
  • NBR 12692 – Inspeção, Manutenção e Recarga em Extintores de Incêndio;
  • NBR 12693 – Sistemas de Proteção por Extintores de Incêndio;
  • NBR 13434 – Sinalização de Segurança contra Incêndio e Pânico
  • NBR 13714 – Sistemas de hidrantes e de mangotinhos para combate a incêndio
  • NBR – 14276 – Brigada de incêndio.
  • NBR – 17240 – sistema de detecção e alarme automáticos de incêndio;

Lembre-se de sempre analisar as Normas Estaduais e Municipais quanto a prevenção e combate a incêndios, elas podem ser mais restritivas que a nacional, nunca menos.

Triangulo do fogo

O triângulo do fogo é uma representação gráfica dos três elementos necessários para o surgimento e manutenção da combustão. Os três lados, que representam os três elementos, do triângulo do fogo são:

  • Combustível: é o material que pode entrar em combustão. Os exemplos mais comuns de combustíveis são: madeira, papel, pano, certos metais, tintas e estopa;
  • Comburente: é qualquer substância capaz de oxidar um combustível numa reação rápida e exotérmica, o comburente mais conhecido é o oxigênio;
  • Temperatura de ignição: é a temperatura que provoca a combustão/ queima do combustível.

O combustível e o comburente estão sempre juntos na natureza faltando para a combustão, a existência da temperatura de ignição.

Esses três elementos, fazem parte do Triângulo do Fogo que em conjunto com a reação em cadeia, considerado o quarto elemento mantêm, a chama acesa.

Porém, se algum, destes elementos, for retirado como veremos a seguir não haverá, mais combustão e assim o fogo cessará.

Existem 4 Classes de incêndios, que em conjunto com o conhecimento do triângulo do fogo ajudam a entender como evitar e combater cada classe de incêndio.

Classes de Incêndios

Classe A

  • Característica: fogo em materiais sólidos;
  • Como queima: em superfície e em profundidade;
  • Após a queima: sobram resíduos, brasas e cinzas;
  • Extinção: pelo método de resfriamento ou por meio do abafamento com jato pulverizado.

Classe B

  • Característica: fogo em combustíveis líquidos inflamáveis;
  • Como queima: em superfície;
  • Após a queima: não deixa resíduo;
  • Extinção: pelo método de abafamento.

Classe C

  • Característica: fogo em materiais e equipamentos energizados;
  • Extinção: por meio de agente extintor não condutor de eletricidade, e jamais por extintores de água ou espuma;
  • Prevenção: é preciso desligar o quadro de força para ele não se tornar um incêndio de classe A ou B.

Classe D

  • Característica: fogo em metais pirofóricos, como alumínio, magnésio, antimônio e outros. É difícil de ser apagado;
  • Extinção: por abafamento;
  • Prevenção: nunca utilizar extintor de espuma ou água.

Combate ao Fogo

Existem 3 métodos de combate ao fogo que vamos conhecer a seguir:

  • Abafamento: consiste na retirada ou redução do teor de Oxigênio no local da combustão. É o método mais eficaz no combate ao incêndio classe B. No caso de líquidos, muito aquecidos, é necessário o resfriamento posterior, evitando nova ignição. No abafamento pode ser utilizado um cobertor ou algum objeto, que abafe a combustão, o mais indicado é a utilização dos extintores de espuma. Com isso conseguimos retirar o comburente, no caso o oxigênio, e consequentemente eliminar o incêndio.
  • Isolamento: Neste método buscamos desagregar o combustível do processo de combustão com o objetivo do fogo não passar para outras áreas ainda não afetadas. Deve-se garantir não haver risco de explosão ou início de ignição antes de realizar a remoção do combustível que não está em chamas.
  • Resfriamento: Ele consiste na redução da temperatura da área afetada pelas chamas evitando assim se chegar ao ponto de fulgor do material em combustão. O ponto de fulgor é a menor temperatura em que um corpo aquecido se inflama pela presença de uma chama externa. Quando jogarmos água em um incêndio estamos resfriando, retirando o componente calor e eliminando o agente ignio, pois não temos mais a temperatura de ignição necessária para a reação em cadeia que mantém o fogo vivo.

NR 23

A Norma Regulamentadora 23 – Proteção contra Incêndios é uma norma com apenas 5 itens, segue transcrição:

23.1 Todos os empregadores devem adotar medidas de prevenção de incêndios, em conformidade com a legislação estadual e as normas técnicas aplicáveis.

23.1.1 O empregador deve providenciar para todos os trabalhadores informações sobre:

  1. utilização dos equipamentos de combate ao incêndio;
  2. procedimentos para evacuação dos locais de trabalho com segurança;
  3. dispositivos de alarme existentes.

23.2 Os locais de trabalho deverão dispor de saídas, em número suficiente e dispostas de modo que aqueles que se encontrem nesses locais possam abandoná-los com rapidez e segurança, em caso de emergência.

23.3 As aberturas, saídas e vias de passagem devem ser claramente assinaladas por meio de placas ou sinais luminosos, indicando a direção da saída.

23.4 Nenhuma saída de emergência deverá ser fechada à chave ou presa durante a jornada de trabalho.

23.5 As saídas de emergência podem ser equipadas com dispositivos de travamento que permitam fácil abertura do interior do estabelecimento.

Curso de Brigadista

O brigadista de incêndio é aquele profissional devidamente capacitado para atuar na prevenção e combate de incêndios. Ele é treinando para atuar em situações emergenciais, operando equipamentos de combate a incêndios, auxiliando no plano de abandono, identificando produtos perigosos e reconhecendo seus riscos ou prestando os primeiros socorros, atendendo assim a legislação existente de forma a contribuir na preservação da vida e do patrimônio.

Atividade do Bombeiro Civil em segurança contra Incêndios

Bombeiro Civil Lei 11.901, Considera-se Bombeiro Civil aquele que, habilitado nos termos desta Lei, exerça, em caráter habitual, função remunerada e exclusiva de prevenção e combate a incêndio, como empregado contratado diretamente por empresas privadas ou públicas, sociedades de economia mista, ou empresas especializadas em prestação de Atividades do Bombeiro Civil

Sua atuação é descrita na ABNT NBR 14608:2007 como o empregado de uma empresa e que só presta serviços desta natureza.

No atendimento a  sinistros em que atuem, em conjunto, os Bombeiros Civis e o Corpo de Bombeiros Militar, a coordenação e a direção das ações caberão, com exclusividade e em qualquer hipótese, à corporação militar.

Só faz atendimento público em casos específicos como os de shopping, por exemplo, e aqueles que em grandes parques industriais pertencem ao PAM-Rede Integrada de Emergências, os quais pelas proximidades com grandes avenidas e rodovias e o valor da vida humana se convencionam neste tipo de auxilio.

Atividades  Básicas As atividades básicas do bombeiro profissional civil durante suas rotinas de trabalho são:

Ações de prevenção Conhecer o plano de emergência contra incêndio da planta;

Identificar os perigos e avaliar os riscos existentes;

Inspecionar periodicamente os equipamentos de combate a incêndio;

Inspecionar periodicamente as rotas de fuga, incluindo a  sua liberação e sinalização;

Participar dos exercícios simulados;

Registrar suas atividades diárias e relatar formalmente as irregularidades encontradas, com propostas e medidas corretivas adequadas e posterior verificação de execução;

Apresentar, quando aplicável,  sugestões para melhorias das condições de segurança  contra  incêndio e   acidentes;

Participar das atividades de avaliação, liberação e acompanhamento das  atividades  de riscos  compatíveis com sua  formação;

Ações de emergência

Aplicar os procedimentos básicos estabelecidos  no Plano de Emergência do Estabelecimento contra Incêndio, de acordo com a ABNT NBR 15219.

Nota:  O Bombeiro Profissional só deve atuar nas atividades básicas em que estejam, plenamente capacitados e tenham EPI e recursos necessários  disponíveis

Bases de conhecimento do Bombeiro Profissional Civil

Para que um incêndio seja iniciado, é preciso que os reagentes envolvidos (comburente e combustível) estejam em condições favoráveis para que essa reação possa acontecer. A energia para que a reação seja iniciada é chamada de energia de ativação, e é originada através das fontes de ignição. O calor de reação é a energia que se ganha ou se perde quando ocorre uma reação.

Assim sendo, a prevenção de incêndio é a aplicação de normas e leis de prevenção. No Brasil, está descrita nas Normas Regulamentadora 23 do Ministério do Trabalho, além de Leis Estaduais e Municipais, sendo essas uma importante ferramenta que tem sido utilizada para evitar os acidentes envolvendo fogo.

A prevenção de incêndios envolve as edificações e sua ocupação, o controle de manutenção de máquinas e equipamentos em geral e sistemas elétricos, controle de materiais combustíveis e inflamáveis, instalação de sistemas e equipamentos que permitam o combate rápido a princípios de incêndio, treinamento de pessoas no uso desses equipamentos e nos procedimentos de abandono das edificações sinistradas.

Ações de prevenção de incêndios

Dentre as ações de prevenção de incêndio, podem-se destacar algumas simples que podem evitar desastres:

  1. A proibição do fumo em locais onde existam grandes quantidades de materiais combustíveis;
  2. Não armazenar materiais, sem que haja ordem e limpeza no local;
  3. Utilizar a desenergização do ambiente, ao final do expediente, de todos os equipamentos elétricos utilizados em todos os setores da empresa;
  4. Proibir a utilização de derivação tipo “T” e “extensões” elétricas, que são totalmente condenadas pelas normas técnicas e responsáveis por grandes incêndios;
  5. Manter produtos voláteis, como álcool de cozinha e fósforos longe do alcance de crianças, em local ventilado e afastado de fontes de calor.

Noções sobre técnicas de prevenção e combate a incêndios

As medidas de prevenção e combate de incêndio estão ligadas a elementos de precaução contra o princípio de um incêndio. As medidas de proteção são divididas em proteção passiva e proteção ativa, sendo elas destinadas a proteção da vida humana e dos bens materiais dos efeitos nocivos do incêndio que possa ocorrer em algum tipo de edificação. Portanto, as técnicas de prevenção de incêndio:

• Visam à extinção inicial do incêndio;
• A limitação do seu crescimento e propagação no e entre edifícios;
• A precaução contra o colapso estrutural;
• A evacuação segura do edifício;
• A rapidez, eficiência e segurança das operações de combate e resgate.

Por exemplo, para a prevenção de acidentes provocados por incêndio é preciso que as edificações sejam construídas de forma tal que ofereça total segurança para os seus ocupantes. Para essa situação, foi criada a NBR 14432, que em uma situação de incêndio não haja problemas na estrutura do prédio.

Vale ressaltar, entretanto que, para cada tipo de edificação deve ser desenvolvido um plano de segurança específico. São esses cuidados que irão evitar a ocorrência de incêndio, e caso ele ocorra, sua intensidade, duração, risco e gravidade seja o mínimo possível.

Outros exemplos de NBRs desenvolvidas como forma de prevenção de incêndio são:

  • NBR 5667 – sistema de hidrantes;
  • NBR 9077 – Saídas de Emergência em Edificações;
  • NBR 10897 – Proteção contra Incêndio por Chuveiro Automático;
  • NBR 10898 – Sistemas de Iluminação de Emergência;
  • NBR 11715 – extintores de incêndio com carga de água;
  • NBR 11742 – portas corta-fogo para saída de emergência;
  • NBR 12615 – Sistema de Combate a Incêndio por Espuma.
  • NBR 12692 – Inspeção, Manutenção e Recarga em Extintores de Incêndio;
  • NBR 12693 – Sistemas de Proteção por Extintores de Incêndio;
  • NBR 13434 – Sinalização de Segurança contra Incêndio e Pânico
  • NBR 13714 – Sistemas de hidrantes e de mangotinhos para combate a incêndio
  • NBR – 14276 – Brigada de incêndio.
  • NBR – 17240 – sistema de detecção e alarme automáticos de incêndio;

Lembre-se de sempre analisar as Normas Estaduais e Municipais quanto a prevenção e combate a incêndios, elas podem ser mais restritivas que a nacional, nunca menos.

Triangulo do fogo

O triângulo do fogo é uma representação gráfica dos três elementos necessários para o surgimento e manutenção da combustão. Os três lados, que representam os três elementos, do triângulo do fogo são:

  • Combustível: é o material que pode entrar em combustão. Os exemplos mais comuns de combustíveis são: madeira, papel, pano, certos metais, tintas e estopa;
  • Comburente: é qualquer substância capaz de oxidar um combustível numa reação rápida e exotérmica, o comburente mais conhecido é o oxigênio;
  • Temperatura de ignição: é a temperatura que provoca a combustão/ queima do combustível.

O combustível e o comburente estão sempre juntos na natureza faltando para a combustão, a existência da temperatura de ignição.

Esses três elementos, fazem parte do Triângulo do Fogo que em conjunto com a reação em cadeia, considerado o quarto elemento mantêm, a chama acesa.

Porém, se algum, destes elementos, for retirado como veremos a seguir não haverá, mais combustão e assim o fogo cessará.

Existem 4 Classes de incêndios, que em conjunto com o conhecimento do triângulo do fogo ajudam a entender como evitar e combater cada classe de incêndio.

Classes de Incêndios

Classe A

  • Característica: fogo em materiais sólidos;
  • Como queima: em superfície e em profundidade;
  • Após a queima: sobram resíduos, brasas e cinzas;
  • Extinção: pelo método de resfriamento ou por meio do abafamento com jato pulverizado.

Classe B

  • Característica: fogo em combustíveis líquidos inflamáveis;
  • Como queima: em superfície;
  • Após a queima: não deixa resíduo;
  • Extinção: pelo método de abafamento.

Classe C

  • Característica: fogo em materiais e equipamentos energizados;
  • Extinção: por meio de agente extintor não condutor de eletricidade, e jamais por extintores de água ou espuma;
  • Prevenção: é preciso desligar o quadro de força para ele não se tornar um incêndio de classe A ou B.

Classe D

  • Característica: fogo em metais pirofóricos, como alumínio, magnésio, antimônio e outros. É difícil de ser apagado;
  • Extinção: por abafamento;
  • Prevenção: nunca utilizar extintor de espuma ou água.

Combate ao Fogo

Existem 3 métodos de combate ao fogo que vamos conhecer a seguir:

  • Abafamento: consiste na retirada ou redução do teor de Oxigênio no local da combustão. É o método mais eficaz no combate ao incêndio classe B. No caso de líquidos, muito aquecidos, é necessário o resfriamento posterior, evitando nova ignição. No abafamento pode ser utilizado um cobertor ou algum objeto, que abafe a combustão, o mais indicado é a utilização dos extintores de espuma. Com isso conseguimos retirar o comburente, no caso o oxigênio, e consequentemente eliminar o incêndio.
  • Isolamento: Neste método buscamos desagregar o combustível do processo de combustão com o objetivo do fogo não passar para outras áreas ainda não afetadas. Deve-se garantir não haver risco de explosão ou início de ignição antes de realizar a remoção do combustível que não está em chamas.
  • Resfriamento: Ele consiste na redução da temperatura da área afetada pelas chamas evitando assim se chegar ao ponto de fulgor do material em combustão. O ponto de fulgor é a menor temperatura em que um corpo aquecido se inflama pela presença de uma chama externa. Quando jogarmos água em um incêndio estamos resfriando, retirando o componente calor e eliminando o agente ignio, pois não temos mais a temperatura de ignição necessária para a reação em cadeia que mantém o fogo vivo.

NR 23

A Norma Regulamentadora 23 – Proteção contra Incêndios é uma norma com apenas 5 itens, segue transcrição:

23.1 Todos os empregadores devem adotar medidas de prevenção de incêndios, em conformidade com a legislação estadual e as normas técnicas aplicáveis.

23.1.1 O empregador deve providenciar para todos os trabalhadores informações sobre:

  1. utilização dos equipamentos de combate ao incêndio;
  2. procedimentos para evacuação dos locais de trabalho com segurança;
  3. dispositivos de alarme existentes.

23.2 Os locais de trabalho deverão dispor de saídas, em número suficiente e dispostas de modo que aqueles que se encontrem nesses locais possam abandoná-los com rapidez e segurança, em caso de emergência.

23.3 As aberturas, saídas e vias de passagem devem ser claramente assinaladas por meio de placas ou sinais luminosos, indicando a direção da saída.

23.4 Nenhuma saída de emergência deverá ser fechada à chave ou presa durante a jornada de trabalho.

23.5 As saídas de emergência podem ser equipadas com dispositivos de travamento que permitam fácil abertura do interior do estabelecimento.

Curso de Brigadista

O brigadista de incêndio é aquele profissional devidamente capacitado para atuar na prevenção e combate de incêndios. Ele é treinando para atuar em situações emergenciais, operando equipamentos de combate a incêndios, auxiliando no plano de abandono, identificando produtos perigosos e reconhecendo seus riscos ou prestando os primeiros socorros, atendendo assim a legislação existente de forma a contribuir na preservação da vida e do patrimônio.

 

Veja opções de cursos na sua área!

 

 

  Veja Mais
Exibindo de 1 a 4 resultados (total: 17)